Quinta, 23 de Maio de 2024
18°

Tempo limpo

Brasília, DF

Senado Federal Senado Federal

Chico Rodrigues celebra redução da fome, mas alerta sobre continuidade de políticas

O senador Chico Rodrigues (PSB-RR) chamou a atenção para os avanços na luta contra a fome no Brasil. O senador destacou, em pronunciamento no Plená...

15/05/2024 às 17h55
Por: Divino Candido Fonte: Agência Senado
Compartilhe:
 - Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado
- Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

O senador Chico Rodrigues (PSB-RR) chamou a atenção para os avanços na luta contra a fome no Brasil. O senador destacou, em pronunciamento no Plenário nesta quarta-feira (15), que o relatório divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou progressos significativos nessa área.

De acordo com o levantamento, cerca de 73% dos domicílios brasileiros contam com acesso permanente à alimentação adequada, um aumento significativo em relação aos 63% registrados em 2018. No entanto, Chico lembrou que ainda há um longo caminho a percorrer, com milhões de brasileiros enfrentando insegurança alimentar e até mesmo a fome.

— Embora pontifiquem que a fome tenha recuado no país em cinco anos, ponderam que ainda está acima do patamar de 2013, dez anos depois. O combate à fome em nosso país tem que ser prioridade absoluta. Deve estar acima de qualquer divisão ideológica ou partidária e precisa se tornar uma política de Estado e não de governos — afirmou.

O senador enfatizou a importância de implementação de políticas públicas emergenciais, com um plano de segurança alimentar de médio e longo prazo, como a PEC 30/2023 , de sua autoria, que institui o Plano Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional para garantir a erradicação da fome no país.

— A preocupação com a fome deve ser permanente. Não podemos permitir que as melhorias nos indicadores sejam passageiras e que voltemos à gangorra de descontinuidades. Não podemos nos dar ao luxo de uma vez mais fracassar na implementação de múltiplas políticas públicas de combate à fome que permitam um avanço contínuo. O Brasil é um dos maiores produtores de alimentos do mundo, não podemos admitir conviver com a fome — alertou.