(61) 3434.3406
Educação apresentará à Saúde plano para vacinar professores do DF

Educação apresentará à Saúde plano para vacinar professores do DF

Secretaria de Educação (SEE) já tem um planejamento para a vacinação dos professores da rede pública do Distrito Federal. Conforme informado pelo secretário de Saúde, Osnei Okumoto, nessa segunda-feira (29/3), a programação foi informada pelo responsável pela pasta, Leandro Cruz.Segundo Osnei, o trabalho já desenvolvido é um passo de adiantamento e passará pela análise de condições sanitárias antes de ser confirmado. “Um trabalho muito interessante de programação que será avaliado pelos nossos técnicos”, destaca.O secretário não deu maiores detalhes do plano, mas diz que a ideia será de grande valia no momento de início da vacinação, que ainda não tem data para começar, pois depende da quantidade de doses ofertadas pelo Ministério da Saúde.O chefe da Casa Civil, Gustavo Rocha, destacou que a intenção do governador Ibaneis Rocha (MDB( é iniciar a imunização de docentes assim que terminar a campanha entre forças de Segurança. “Para evitar prejuízo, aguardar terminar uma etapa para começar outra”, resumiu.

Queixa

A exclusão dos professores da nova lista de grupos prioritários de vacinação contra a Covid-19 em Brasília despertou indignação entre os docentes – principalmente os profissionais da rede particular.

O Governo do Distrito Federal (GDF) divulgou na quarta-feira (24/3) uma lista com 25 categorias que devem ter prioridade para a imunização. Educadores, contudo, não foram contemplados com a medida.Segundo o Sindicato dos Professores em Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinproep), a decisão coloca em risco a saúde da comunidade escolar.

“A gente recebeu essa decisão com muita indignação. Porque, meses atrás, o governo assumiu o compromisso de vacinar os professores. E nós estamos com aulas presenciais”, alertou o diretor do Sinproep, Rodrigo de Paula. “Nós vamos pedir a inclusão dos professores”, completou.

Ainda na tarde de quarta-feira (24/3), a entidade renovou os apelos ao Executivo distrital pela imunização dos docentes da rede privada de ensino.Na leitura do Sinproep, diante do quadro atual da pandemia do novo coronavírus, as aulas presenciais na rede particular devem ser suspensas novamente.

Escolas públicas

Como as escolas públicas estão sem aulas presenciais, o Sindicato dos Professores do Distrito Federal (Sinpro-DF) considerou a decisão do GDF razoável. Mas avisa: os docentes da rede pública de ensino só voltam para sala de aula após a vacinação.

“Todas essas categorias que foram para a prioridade antes da gente já estão trabalhando de forma presencial. Nós ainda estamos trabalhando remotamente”, explicou a diretora do Sinpro, Rosilene Corrêa. “Então, não tem como a gente ter prioridade em detrimento de quem já está em uma exposição muito maior”, reforçou. Segundo Rosilene, entretanto, a volta dos educadores está condicionada à imunização.

“Não há discussão de retorno presencial, porque, se não há data para a imunização dos professores, significa reforçar que continuaremos com trabalho remoto e sem perspectiva de retorno. Só voltamos com a vacina”, arrematou.Na leitura do Sinproep, diante do quadro atual da pandemia do novo coronavírus, as aulas presenciais na rede particular devem ser suspensas novamente.

Escolas públicas

Como as escolas públicas estão sem aulas presenciais, o Sindicato dos Professores do Distrito Federal (Sinpro-DF) considerou a decisão do GDF razoável. Mas avisa: os docentes da rede pública de ensino só voltam para sala de aula após a vacinação.

“Todas essas categorias que foram para a prioridade antes da gente já estão trabalhando de forma presencial. Nós ainda estamos trabalhando remotamente”, explicou a diretora do Sinpro, Rosilene Corrêa. “Então, não tem como a gente ter prioridade em detrimento de quem já está em uma exposição muito maior”, reforçou. Segundo Rosilene, entretanto, a volta dos educadores está condicionada à imunização.

“Não há discussão de retorno presencial, porque, se não há data para a imunização dos professores, significa reforçar que continuaremos com trabalho remoto e sem perspectiva de retorno. Só voltamos com a vacina”, arrematou.

Compartilhar

Comentários